terça-feira, 28 de setembro de 2010

Pescadores de homens

Jesus disse para Pedro que ele seria transformado em pescadores de homens. Esta palavra se aplica a todos nós.
Caminhando junto ao mar da Galiléia, viu dois irmãos, Simão, chamado Pedro, e André, que lançavam as redes ao mar, porque eram pescadores. E disse-lhes: Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens. Então, eles deixaram imediatamente as redes e o seguiram. Mt. 4:18-20

1. Princípios de pescaria
Bons pescadores não pescam porque têm mais sorte. Pescaria não é uma questão de sorte, mas de técnica.

a. Saiba que peixe você quer pegar - Mt. 10:5-6
Cada tipo de peixe exige uma isca específica e uma época específica de pescaria. Uma coisa é pescar lambari outra coisa é pescar um pirarucu.
Escolha um público alvo.
Você vai atrair quem você é e não quem você quer.

b. Vá onde os peixes estão - Mt. 10:5
Diferentes tipos de peixes se alimentam em diferentes locais em horas diferentes
Nem todo peixe virá à sua célula.
Precisamos ganhar as pessoas nos locais onde elas vivem, trabalham, estudam se divertem, etc.

c. Concentre-se no tipo de peixe que está fisgando a isca - Mt. 10:14
Concentre-se em ganhar aqueles que estão abertos para ouvirem do evangelho. Não queremos ignorar ninguém, mas é tolice gastar a maior parte do tempo com quem não quer ouvir.
Existem diferentes tipos de solo onde lançamos a nossa semente. É sábio semear em terra arada.
Existem grupos de pessoas que são mais abertas ao evangelho:
þ  Visitantes que vêm pela segunda vez a uma reunião.
þ  Amigos e parentes de novos convertidos.
þ  Pessoas com crise no casamento.
þ  Pessoas que necessitam de libertação de álcool, drogas, sexo e outros.
þ  Pessoas enfermas.
þ  Pessoas com doentes graves ou terminais na família.
þ  Pais de crianças problemáticas.
þ  Desempregados e pessoas com problemas financeiros.
þ  Pessoas que acabaram de se mudar para a cidade.

d. Aprenda a pensar como um peixe - Mt. 9:4; 12:25, Mc. 2:8, Lc. 5:22; 9:47 e 11:17
Entenda os hábitos e os gostos de cada peixe. Em outras palavras: fale a linguagem que as pessoas entendem.
Portai-vos com sabedoria para com os que são de fora; aproveitai as oportunidades. Cl. 4:5

e. Uma boa pescaria requer que façamos coisas desagradáveis para nós, mas boas para os peixes - Lc. 10:8
Bons pescadores não se importam com a posição nem com o conforto. Eles se embrenham no meio de lagoa e pântanos infestados de mosquitos. Eles querem o peixe.
Precisamos pescar o peixe à maneira dele e não à nossa maneira.
Faça qualquer coisa para pescar uma alma.
Um princípio básico da pescaria é o sacrifício.
Fiz-me fraco para com os fracos, com o fim de ganhar os fracos. Fiz-me tudo para com todos, com o fim de, por todos os modos, salvar alguns. Tudo faço por causa do evangelho, com o fim de me tornar cooperador com ele. I Cor. 9:22-23

f. Não temos o hobby de pescaria, somos pescadores responsáveis diante de Deus.
Seja sério e diligente na pescaria e os peixes virão.
Para nós pescaria não é brinquedo ou diversão, mas a coisa mais séria do mundo.

g. Às vezes usamos os próprios peixes como iscas
Precisamos de usar o maior número possível de diferente tipos de iscas.
Mas o principal é que cada peixe como isca. Eles podem ser usados para aumentar o potencial e alcance da pescaria. Precisamos usar os peixes de acordo com a capacidade de cada um.

2. Quando o peixe é isca
a. O peixe Mateus - Lc. 5:27-29
Quando um Mateus se converte precisamos usa-lo como isca numa grande festa.
Pessoas importantes, ricas ou muito populares precisam ser instruídas e fazerem uma grande festa e se servirem de isca para pescarem muitos outros.

b. O peixe Lázaro - Jo. 12:1 e 9
Pessoas que tiveram um grande milagre em sua vida precisam ser ensinadas a testemunharem. Nesse caso podemos fazer o jantar de Lázaro como foi feito em Betânia.

c. O peixe André - Jo. 1:40-41
Nem todos possuem grandes milagres para contar nem somos muito populares, mas todos temos um parente próximo como um irmãos ou primo. Desde cedo cada novo convertido precisa aprender que ele deve convidar seus parentes para virem a Jesus.

d. O peixe Pedro
Pedro era ousado e atrevido. O tipo de gente pronta a explodir. Era alguém sem rodeios e meias palavras. Desafiou Jesus para andar sobre as águas, decepou a orelha de um servo, mas foi o primeiro a pregar e obter resultados no dia de pentecostes.
Quando temos novos convertidos do tipo de Pedro. Não precisamos mesmo tentar impedi-lo, ele irá pregar de qualquer forma.

e. O peixe Paulo - At. 9:20 e 26
Pau era um implacável perseguidor da Igreja. Quando souberam de sua conversão alguns duvidaram, mas outros passaram a testemunhar com mais destemor ainda. Esse é um peixe que vai empolgar mais os pescadores do que atrair outros peixe. Mas isso também é bom, porque pescadores motivados são mais eficientes.

f. O peixe que foi curado - Jo. 9:25
Não há necessidade de um novo convertido aprender teologia antes que possa testemunhar do Senhor. Ele pode dar o testemunho do cego que foi curado: “quem ele era eu não sei, só sei que era cego e agora vejo”.

g. O peixe mulher samaritana - Jo. 4:39 e 42
Pessoas que tinham uma vida imoral quando se convertem se tornam poderosas iscas. Leve-as a testemunhar como fez a mulher samaritana.

Conclusão
Nosso encargo nesses dias não é nos acomodar porque temos feito uma boa pescaria, mas precisamos crescer e nos tornar ainda melhores pescadores. A pescaria não pode ser por hobby ainda que possa ser por temporada, é tempo de aproveitarmos os peixes que temos pescado e usa-los como boas iscas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário